7442301-frente.jpg

Não me chames _ _ _

Insultos de salão, insultos do quotidiano que usamos todo o ano, insultos em forma de expressões, insultos que exigem o uso de dicionário e, claro, os insultos onde não falta palavrões e pouca-vergonha. Tem nas suas mãos um manancial de alternativas para insultar com elegância e conveniência.

Não Me Chames de... é um livro que reúne mais de 500 exemplos da arte de maldizer, com soluções para todos os destinatários e situações. Sérgio Luís de Carvalho descreve-nos a origem e a história destes insultos, alguns dos quais conhecemos bem; outros nem imaginamos o que significam. Alguns, de tão elaborados, nem dão jeito proferir. Outros são comuns, reles mesmo. Perdem em elegância o que ganham em brejeirice.

Calhandreira, fedúncia, galfarro, sacripanta, sejam bíblicos, literários ou apenas ordinários, este compêndio de insultos é uma ferramenta muito útil para as horas mais difíceis (ou um alívio para a alma, quem sabe). Quer seja para se dirigir ao ferrabrás do seu colega, ao peralvilho do seu chefe ou ao manipanso que não lhe sai da frente no trânsito.

 

 

Já na 7ª Edição!